Ceasas do Paraná promovem oficinas de trabalho sobre rotulagem de hortigranjeiros

FOTO - GAZETA DO IGUACUParaná – A Ceasa Paraná, empresa vinculada ao sistema da Secretaria de Agricultura e do Abastecimento, inicia nesta quarta-feira (13) mais uma rodada de oficinas sobre “Rotulagem de Frutas e Hortaliças in natura”. As oficinas acontecem em todas as unidades atacadistas no Estado.

A primeira reunião acontecerá em Londrina, seguindo depois para Maringá (dia 14), Cascavel (15) e Curitiba (18) – confira abaixo o calendário e locais onde serão realizados esses encontros. Participam agricultores, atacadistas, comerciantes que trabalham com hortigranjeiros, técnicos e engenheiros agrônomos das Ceasas do Paraná, da Emater Paraná e entidades da agricultura no Estado.

RASTREABILIDADE – O objetivo das oficinas é informar e esclarecer dúvidas sobre a aplicação da Resolução número 748/2014, da Secretaria de Estado da Saúde, que entrará em vigor a partir do dia 1º de julho de 2015. A medida regulamenta a obrigatoriedade de rotulagem dos produtos hortícolas in natura a granel ou embalados, comercializados no Paraná.

Os rótulos deverão trazer, por exemplo, a identificação de origem (produtor, endereço completo), identificação do produto (nome, variedade, lote, data da colheita, data de validade, peso líquido e formas de conservação) e, também, contato claro do Serviço de Atendimento ao Consumidor. A finalidade é garantir o processo de rastreabilidade em todas as etapas da cadeia produtiva para assegurar o consumo de produto seguro e responsabilizar causadores de eventuais irregularidades.

“Esse processo de rotulagem e identificação de origem e embalagem dos produtos já é praticado por muitos agricultores e atacadistas que atuam nas Ceasas do Paraná”, afirma Natalino Avance de Souza, diretor presidente da empresa. “Além de permitir a rastreabilidade dos produtos, a identificação completa é direito do consumidor e sinal de respeito do distribuidor”, ressalta.

ALIMENTOS SEGUROS – Para o diretor técnico da Ceasa Paraná, Eder Eduardo Bublitz, agricultores e atacadistas que atuam no setor varejista também já estão devidamente adaptado a essas exigências. “Estamos trabalhando no sentido de garantir alimentos mais seguros na mesa dos consumidores. Todas as informações passam a ser prestadas de forma completa, facilitando a identificação de agentes que estejam fora desta normatização”, completa.

O palestrante das oficinas será o engenheiro agrônomo Marcos Andersen, do Centro Estadual de Vigilância Sanitária da Secretaria da Saúde. “Já temos uma resolução publicada a esse respeito, com as necessidades de rotulagem dos hortigranjeiros in natura comercializados no Estado. Pretendemos, agora, esclarecer dúvidas, como por exemplo, que produtos apresentariam índices de agrotóxicos acima do permitido”, explica Andersen. “Firmamos um termo de cooperação técnica buscando evitar brechas no sistema de produção e distribuição”, diz ele, que lembra, ainda, que para estas oficinas são também convidados as Vigilâncias Sanitárias municipais.

Participam também dos trabalhos, técnicos do Sistema da Federação da Agricultura do Paraná (Faep), do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea/PR), da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Paraná (Fetaep), do Sistema Sebrae-PR, da Associação Paranaense de Supermercados (Apras) e das secretarias estaduais da Agricultura e do Abastecimento e da Saúde.

Mais informações junto às respectivas gerências de mercado das Ceasas do Paraná ou com a engenheira agrônoma Elisangeles Souza, do Sistema Faep, pelo fone (41) 2169-7930, ou por    e-mail elisangeles.souza@faep.com.br.

FONTE: A Gazeta do Iguaçu